A rotina de eliminações do São Paulo; já são 22 seguidas

A rotina de eliminações do São Paulo; já são 22 seguidas

maio 30, 2019 0 Por Bruno Canuto

Há anos virou rotina. Em competições mata-mata o São Paulo decepciona os seus torcedores. Na última quarta-feira, o Bahia foi algoz ao eliminar o Tricolor nas oitavas de final da Copa do Brasil, competição que o clube nunca conquistou. Antes, em 2019, o time havia caído na fase prévia da Libertadores para o modesto Talleres, da Argentina.

AS PARTICIPAÇÕES DO SÃO PAULO NA COPA DO BRASIL

Das 19 participações do clube na competição, em uma o time chegou à final. Em 2000 foi vice-campeão para o Cruzeiro de forma traumática, com a Raposa anotando o gol do título no fim da partida em cobrança de falta de Geovanni.

Em outras três o São Paulo caiu nas semifinais (2002, 2012 e 2015), em sete foi eliminado nas quartas (1990, 1993, 1995, 1998, 2001, 2003 e 2011), em cinco ficou nas oitavas (1996, 1997, 1999, 2016 e 2019), uma vez na terceira fase (2014) e duas na quarta fase (2017 e 2018).

22ª ELIMINAÇÃO SEGUIDA EM MATA-MATA

Desde o último título do São Paulo, a Sul-Americana em 2012, o time acumula 22 eliminações seguidas em mata-matas. Foram sete no Campeonato Paulista (quatro para o Corinthians, uma para o Santos, uma para a Penapolense e uma para o Audax), seis na Copa do Brasil (Bragantino, Santos, Juventude, Cruzeiro, Athletico-PR e Bahia), quatro na Libertadores (Atlético-MG, Cruzeiro, Atlético Nacional e Talleres) e quatro na Sul-Americana (Ponte Preta, Atlético Nacional, Defensa y Justicia e Colón).

Contra o Colón um tabu histórico foi derrubado e vale a ressalva: o São Paulo perdeu no Morumbi para um time argentino em competições da Conmebol pela primeira vez depois de 22 vitórias e oito empates.

SÃO PAULO EM 2019

Em 28 jogos, o São Paulo venceu nove – o time teve três técnicos até então – André Jardine, Vagner Mancini e Cuca – e cada um venceu três partidas -, empatou nove e perdeu 10, com 23 gols marcados e 20 sofridos. Em metade dos compromissos o time não balançou as redes, ou seja 50%. É o pior número entre os clubes que disputam a Série A do Campeonato Brasileiro.